O Fundo Regional para a Inovação Digital na América Latina e o Caribe (FRIDA) anuncia os três projetos vencedores de sua chamada 2019. As iniciativas selecionadas irão receber apoios financeiros de US$ 30.000 no total, distribuídos entre um prêmio e dois subsídios.

A chamada de 2019 esteve focada em dois eixos centrais: contribuir para um maior acesso à Internet na região e fechar a brecha de gênero na tecnologia.

O Comitê de Seleção de FRIDA, liderado, neste ano, pelos especialistas regionais Carolina Aguerre e Carlos Rey Moreno, avaliou 487 propostas de 24 países da América Latina e o Caribe, selecionando três iniciativas da Argentina, Colômbia e México. Os resultados foram: https://programafrida.net/proyectos-seleccionados-2019

NuestraRed.org (Fundação VivirEnLaFinca, Colômbia) foi a vencedora do Prêmio FRIDA de US$ 5.000 na categoria Redes Comunitárias, e receberá uma bolsa para participar do Fórum de Governança da Internet 2019 em Berlim.

O projeto NuestraRed.org atua há mais de 4 anos nos departamentos de Risaralda, Quindío e Vale do Cauca, na Colômbia. Possui 23 nós que transportam conectividade para localidades que antes estavam total ou parcialmente desconectadas e isoladas. As redes são operadas pelas comunidades, usando diferentes ferramentas de software livre e apoiando fortemente a criação de conteúdo local. Nos seus 4 anos de operação, a rede atingiu cerca de 12.000 usuários. NuestraRed apoiou a replicação deste modelo, colaborando com a Colnodo (Subsídio FRIDA 2018) na implementação de redes comunitárias no Cauca e Maní Casanare (Colômbia). 

Do outro lado, os projetos Centro de Mulheres em Tecnologia Mx (Associação Nacional de Universidades e Instituições de Educação Superior, México) e Plataforma virtual de Alfabetização Digital para mulheres na Argentina e na América Latina (Fundação Ativismo Feminista Digital, Argentina) irão receber subsídios de US$ 12.000 e US$ 8000 respectivamente, para promover novas iniciativas focadas em gênero e tecnologia. 

O Centro de Mulheres em Tecnologia Mx (CMTMx) é uma iniciativa liderada por quatro colegas da comunidade técnica: Carmen Denis Polanco, Erika Vega, Nathalia Sautchuk e Paola Pérez. O projeto estará focado em orientar estudantes mulheres no período universitário nas áreas das TIC das universidades de Mérida que recebam formação para o desenvolvimento de habilidades digitais de Recursos da Internet, Gerenciamento de Redes, Segurança, IPv6, Roteamento Básico e Avançado. Também será levada adiante a experiência BootcampCMTMx. O Bootcamp consiste em uma semana de atividades e oficinas para meninas e adolescentes, por meio das que serão promovidos o desenvolvimento de aplicativos móveis, a arquitetura de computadores, robótica e redes. O objetivo final do projeto é contribuir para a construção de uma sociedade em que meninas e mulheres possam participar ativamente do amplo mundo das tecnologias para o desenvolvimento da Internet. 

Do outro lado, a Fundação Ativismo Feminista Digital vai trabalhar no desenvolvimento de uma plataforma para oferecer cursos on-line para a alfabetização digital de mulheres na Argentina e na América Latina.  Serão ministrados cursos sobre liberdade de expressão digital, anonimato digital, segurança de redes sociais e dispositivos, violência digital contra mulheres, trolls machistas, comunicação digital com perspectiva de gênero, direito e Internet, governança da Internet, entre outros.

FRIDA é o Fundo Regional para a Inovação Digital na América Latina e o Caribe, uma iniciativa de LACNIC que conta com o apoio do Centro de Pesquisa para o Desenvolvimento Internacional de Cooperação do Canadá (IDRC) e da Internet Society.  

Desde 2004, FRIDA já tem distribuído mais de US$ 1.79 milhões de dólares entre mais de 130 iniciativas e projetos inovadores de 19 países da região, contribuindo na promoção do desenvolvimento da Internet na América Latina e o Caribe.