Prêmios

Os Prêmios FRIDA procuram reconhecer iniciativas e práticas inovadoras na América Latina e o Caribe que, desde o âmbito das tecnologias da informação e da comunicação, tenham contribuído de forma concreta e com impacto comprovado com o desenvolvimento social e econômico da região.

As iniciativas premiadas terão 3 características principais. Em todos os casos os projetos deverão ter um componente tecnológico com o que se tenha procurado dar resposta a uma problemática do desenvolvimento. As soluções propostas devem ser inovadoras, isto é, apresentar novas estratégias, conceitos, ideias, metodologias e processos que respondam às necessidades sociais e consigam ampliar e fortalecer as comunidades. Finalmente, serão premiadas iniciativas com impacto demonstrado por meio de indicadores e evidência que comprovem a geração de valor para as comunidades que pretendem servir.

Serão aceitas candidaturas alinhadas com as questões de interesse do programa FRIDA:

  1. Desenvolvimento da Internet. Soluções inovadoras para o desenvolvimento de uma Internet aberta, estável e segura, incluindo questões tais como acesso, infraestrutura, Internet das Coisas, IPv6, segurança cibernética, padrões abertos e governança da Internet. Leia mais sobre esta categoria.
  2. Internet e tecnologias para a participação. Soluções digitais para a inclusão social, fortalecimento democrático e exercício dos direitos e liberdades. Leia mais sobre esta categoria.
  3. Internet e tecnologias para o bem das comunidades. Soluções digitais em saúde, educação, economia, indústria, meio ambiente, agricultura, entre outras áreas, que contribuem com o desenvolvimento socioeconômico das comunidades. Leia mais sobre esta categoria.
Chamada 2017

No ciclo de chamada de 2017 serão selecionados dois vencedores. Para o primeiro prêmio, serão aceitas candidaturas alinhadas com as três categorias temáticas do Programa FRIDA: Desenvolvimento da Internet, Internet e Participação, e Tecnologias e Comunidade. O segundo prêmio, por outro lado, será para projetos liderados por mulheres que promovam a igualdade de gênero por meio de tecnologias. Para saber mais acerca do Prêmio FRIDA para Mulheres nas Tecnologias, clique aqui.

Os prêmios FRIDA são outorgados a iniciativas contínuas ou projetos finalizados que apresentem evidência concreta de impacto. Quer dizer que não poderão candidatar-se projetos cuja execução esteja pendente ou prestes a começar.

O Prêmio FRIDA consiste em um apoio financeiro de US$ 5.000 mais uma viagem e estadia completa para um representante de cada projeto vencedor para participar da cerimônia de premiação que será realizada em o Fórum de Governança da Internet em Genebra, Suíça de 18 a 21 de Dezembro.

Convidamos vocês a lerem as perguntas frequentes antes de candidatar. Se tiver alguma dúvida, entre em contato com o oficial de programa através do e-mail: frida@lacnic.net.

Apresente o seu projeto através da plataforma de candidaturas de FRIDA clicando aqui: http://programafrida.net/pt-br/plataforma-de-candidaturas-frida. Nota: As propostas serão recebidas até as 23:59h (UTC-3), horário do Uruguai.

Datas Importantes

Para facilitar o processo de candidaturas, a chamada 2017 estará dividida em duas etapas. Na primeira etapa, os candidatos apenas deverão apresentar um resumo de seu projeto usando a plataforma de candidaturas de FRIDA. Somente os projetos que fiquem pré-selecionados vão passar para a segunda etapa em que será solicitada a apresentação de uma proposta mais detalhada.

Nota 10 de julho de 2017: As datas do processo foram atualizadas.

  • Abertura da chamada: Quarta-feira 10 de maio de 2017.
  • Encerramento final de candidaturas: Sexta-feira 23 de junho de 2017 até as 23.59h (UTC-3).
  • Pré-seleção: Segunda-feira 26 de junho –  quarta-feira 12 de julho de 2017.
  • Apresentação de proposta detalhada dos projetos pré-selecionados: Quinta-feira 13 de julho – sexta-feira 28 de julho de 2017.
  • Processo de seleção final: Segunda-feira 31 de julho – sexta-feira 25 de agosto de 2017.
  • Anúncio dos resultados: Quarta-feira 30 de agosto de 2017.