AgriNeTT é uma iniciativa que acredita no uso das tecnologias digitais como uma ferramenta para melhorar o trabalho dos produtores e instituições agrícolas em Trinidad e Tobago. Premiado por FRIDA em 2016 como uma das práticas mais inovadoras da América Latina e o Caribe, este projeto visa ajudar ao crescimento econômico da agricultura do país caribenho e sua região de influência.

Como surgiu a ideia de desenvolver AgriNett?

As TIC não desempenham um papel de destaque na agricultura no Caribe. A Dra. Margaret Bernard, professora de Ciência da Computação na Universidade das Índias Ocidentais, teve um estudante, Andre Thompson, que estava desenvolvendo um Sistema de Informação Agrícola. Isso fez com que ela se interessasse na área geral das TIC na agricultura. Reuniu uma equipe formada por professores de Computação e Agricultura, bem como pessoas de instituições agrícolas e associações de agricultores de Trinidad e Tobago. Assim foi como nasceu o projeto AgriNett. O projeto foi financiado pelo Governo de Trinidad e Tobago através do Fundo UWI-RDI. Os principais problemas que a equipe de AgriNeTT teve de enfrentar foram a falta de ferramentas TIC para que os agricultores pudessem administrar suas terras e a falta de dados a nível nacional e de exploração agrícola que permitissem um bom planejamento.

Como funciona AgriNeTT? Os produtores podem baixar as ferramentas de graça? Aonde?

AgriNeTT é um projeto de e-agricultura que visa reforçar o sector agrícola através do uso de TIC, principalmente desenvolvendo aplicativos móveis que sejam úteis para os agricultores e os formuladores de políticas. Para abordar as necessidades identificadas, o projeto AgriNeTT desenvolveu vários aplicativos móveis para agricultores, além de dois repositórios de dados abertos (recursos públicos on-line que recolhem dados atualizados sobre vários aspectos da agricultura, entre eles, informações topográficas e sobre camadas de solo) . Os aplicativos irão oferecer aos agricultores ferramentas de gestão financeira agrícola (AgriExpense), informações sobre os preços das safras (AgriPrice), ferramentas para diagnosticar pragas e doenças das plantas (AgriDiagnose) e recomendações sobre as culturas mais adequadas para cada exploração agrícola ( AgriMaps), com base em parâmetros diferentes que podem caracterizar a terra. Todos os aplicativos têm módulos de análise de dados de back-end que estudam os dados para determinar tendencias e oferecem informações agrícolas a nível nacional para os responsáveis da formulação de políticas. Os aplicativos podem ser baixados gratuitamente em Google Play.

Desde o início do projeto, já conseguiram uma melhor integração da tecnologia com as práticas agrícolas tradicionais do dia a dia?  

Como no resto do Caribe, em Trinidad e Tobago muitas propriedades são explorações familiares que praticam a agricultura de pequena escala. Para que AgriNeTT passe da inovação à revolução, é preciso que os aplicativos sejam adotados pelos agricultores para quem foram projetados. A adoção de tecnologia é um verdadeiro desafio e tem sido muito lenta. A equipe de AgriNeTT reconhece que existem muitas barreiras para a adoção de tecnologia. Nesse caso, é necessária fundamentalmente uma mudança de comportamento.   Os agricultores têm telefones inteligentes e conexão à Internet: isso não é um problema. Porém, muitos usam seus telefones apenas para ligações. Por isso estamos focados nos agricultores jovens porque mostraram uma maior gravitação para os aplicativos e reconhecem neles uma ferramenta valiosa.

Quantos produtores estão usando hoje a plataforma AgriNett? Conseguiram aproximar os jovens à agricultura com esta ferramenta?

Coletivamente tivemos mais de dois mil downloads de aplicativos, embora apenas alguns foram usados de maneira constante. Um aspecto positivo é que o projeto tem sido capaz de se conectar com os jovens do sector agrícola. Nossa população agrícola está envelhecendo. Os filhos dos agricultores vêm o futuro com uma agricultura mais impulsionada pela tecnologia. Caso contrário, estes jovens -a maioria com um alto nível educativo- abandonariam a agricultura, reduzindo assim a segurança alimentar da nossa nação.

A criação de aplicativos e ferramentas com base em dados semelhantes a AgriNett pode contribuir para modernizar a agricultura no Caribe?

A resposta é definitivamente SIM!

Estes aplicativos permitem que os agricultores administrem suas culturas como um negócio, com informações de renda, despesas e lucro. Assim, os agricultores serão capazes de participar significativamente nas discussões e negociações sobre a cadeia de valor, o acesso ao crédito, dispor de informações financeiras para suportar desastres nos sistemas de pagamentos, apoiar a gestão de seguros e de riscos e o investimento do setor privado. A nível nacional, as instituições agrícolas terão dados em tempo real para a tomada de decisões sobre o uso da terra, sobre a propagação de pragas e doenças, e sobre o custo real da produção. Os aplicativos AgriNeTT são a primeira série de aplicativos TIC dedicados a apoiar o setor agrícola no Caribe. O modelo que usamos poderia ser replicado em todo o Caribe. 

Quais são os próximos objetivos a serem alcançados com o projeto?

A próxima fase do projeto está focada na adoção das ferramentas e os sistemas. No entanto, estamos diante de um grande desafio: o financiamento. O projeto foi financiado durante três anos através do fundo UWIResearch and DevelopmentImpact, que financia projetos da Universidade das Índias Ocidentais, com potencial para ter um alto impacto na sociedade. Esse financiamento já acabou e a equipe do projeto está procurando novos fundos.

Uma parte importante da estratégia do projeto foi a colaboração: colaboração com instituições locais e com organizações regionais e internacionais como a FAO e o CARDI/CTA. Esperamos continuar aprofundando nos esforços de colaboração, principalmente com organizações como as associações de agricultores para promover os aplicativos e capacitar e trabalhar com os agricultores no uso dos aplicativos. Também iniciamos uma colaboração com o Ministério da Agricultura da Jamaica para ampliar o uso dos aplicativos no Caribe.

Nesta próxima fase também queremos continuar desenvolvendo aplicativos, entre eles AgriDiagnose e outras. Temos que continuar promovendo as plataformas de dados abertos. O projeto produziu várias publicações acadêmicas e teses de pós-graduação. Queremos continuar publicando em revistas científicas. O projeto AgriNeTT reuniu a academia, o setor público e o setor privado para desenvolver sistemas que melhorem a nossa forma de recolher e analisar os dados que têm um impacto sobre a segurança alimentar, bem como para desenvolver aplicativos de TIC que impactem diretamente na gestão agrícola e na rentabilidade dos agricultores. AgriNeTT usa as TIC para o desenvolvimento como uma importante via para melhorar as práticas e a competitividade do sector agrícola, a nível local em Trinidad e Tobago, e a nível regional no Caribe.

Como resumem a sua experiência com FRIDA?

O prêmio FRIDA foi uma enorme conquista para AgriNeTT. Para nós, significou o reconhecimento internacional do nosso trabalho e, de alguma forma, uma validação do que estamos fazendo. A experiência no Fórum de Governança da Internet foi muito enriquecedora em vários sentidos. Pudemos entrar em contato com outros vencedores de prêmios Seed Alliance. Desfrutamos a camaradagem, especialmente porque passamos muitas horas no stand de Seed Alliance conhecendo os vencedores e os lugares de onde provinham. Fiquei particularmente honrado de apertar a mão de Vinton Cerf, um dos fundadores da Internet, durante a cerimônia de entrega dos prêmios Seed Alliance. Conhecemos outras pessoas do Caribe que participam no espaço da governança da Internet. Nossa anfitriã, Carolina Caeiro, destacou-se por sua notável eficiência, organização e amabilidade. A minha experiência com FRIDA foi muito positiva. Espero que LACNIC continue com este programa de prêmios.